INÍCIO     |     NOSSA EMPRESA     |     ORIENTAÇÕES    |     MENSAGEIRO     |      ARTIGOS      |     ENTRETENIMENTO    |      BORKINFO     |     FAMÍLIA BORKENHAGEN

Início | Artigos, Manifestos e Reflexões | Manifestos | Escândalos brasileiros.

Escândalos brasileiros

BRASILEIRO RECLAMA FÁCIL, DE ESCÂNDALOS, MAS ...

Todo cidadão cumpridor de seus deveres, quer que os políticos sejam honestos. Cada eleitor tem o direito de cobrar de seu ‘eleito’ que atue em favor do bem.

Cada deputado tem o direito (e assim espera) de receber dos eleitores, das comunidades, das associações de moradores, projetos para defender na Assembleia ou na Câmara.

Certamente você é uma das pessoas que age corretíssima. Pode dizer com o peito estufado: “Quem não deve, não teme!”

Do que você reclama, ou se envergonha?

- do “Escândalo da Pasta Rosa”?

- do “Escândalo da Mandioca”?

- do “Escândalo das Bicicletas”?

- do “Escândalo do Mensalão”?

- do “Escândalo dos Sanguessugas”?

- do Escândalo na Assembléia Legislativa do Paraná?

- do Escândalo das Passagens Aéreas?

- do Escândalo do Dinheiro na Cueca?

- da Dispensa de servidores remunerados para protestar?

- do Escândalo na Igreja Renascer em Cristo?

- da Pedofilia promovida por religiosos?

Se você sente vergonha dos políticos, lembre que eles saíram do meio do povo!

Se você sente vergonha dos religiosos, lembre que eles são os guias espirituais, talvez até, da igreja que você freqüenta!

 

Oferecemos uma lista de atos, para você testar sua cidadania.

Veja onde você se enquadra nesta lista. Seja honesto/a consigo mesmo/a marcando na coluna correspondente.

 

Atos possíveis ou eventuais do brasileiro, da brasileira

Imprima essa lista e assinale a verdade

Já fiz

Jamais

Pode ser

Troca voto por areia, cimento, tijolo, bebida, churrasco, conta de luz, de água, de telefone, receita médica e até dentadura. Vota cobrando um carguinho para um parente ou amigo.

 

 

 

Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

 

 

 

Espalha mesas, cadeiras e churrasqueira nas calçadas.

 

 

 

Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

 

 

 

Como médico, cobra horas extras de plantão em número maior do que o número de horas existentes em uma semana.

 

 

 

Leva da empresa onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis, papel, pastas, como se isso não fosse roubo.

 

 

 

Quando viaja a serviço da empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.

 

 

 

Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

 

 

 

Faz “gato” de luz, de água e de tv a cabo.

 

 

 

Compra produtos piratas com a plena consciência de que são piratas.

 

 

 

Quando recebe troco a maior, não devolve a diferença, fingindo não conferir quanto recebeu.

 

 

 

Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

 

 

 

Comercializa objetos doados em campanhas de catástrofes.

 

 

 

Vai ao supermercado, abre embalagens, consome o produto e não paga. Belisca fruta pra ver se está madura. Come e danifica frutas e não está nem aí.

 

 

 

Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas

 

 

 

Viola a lei do silêncio.

 

 

 

Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

 

 

 

Leva o cachorro para passear e deixa-o cagar no passeio, na grama dos outros e na calçada, como se isso fosse a coisa mais normal do mundo.

 

 

 

Não respeita os assentos destinados a idosos, grávidas ou deficientes físicos, fazendo-se de sonso.

 

 

 

Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

 

 

 

Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.

 

 

 

Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas

 

 

 

Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

 

 

 

Fala no celular enquanto dirige.

 

 

 

Dirige após consumir bebida alcoólica.

 

 

 

Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

 

 

 

Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

 

 

 

Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

 

 

 

Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes, não devolve.

 

 

 

Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

 

 

 

Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos imposto.

 

 

 

Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

 

 

 

Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

 

 

 

Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

 

 

 

Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem. Prefere não fazer a DBA - Declaração de Bagagem Acompanhada.

 

 

 

Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado. 

 

 

 

Compra e vende mercadorias contrabandeadas normalmente, como se importadas fossem, sem as emissões das notas fiscais correspondentes.

 

 

 

Se atua como profissional autônomo, não quer formalizar-se como MEI - Micro Empreendedor Individual, para não aparecer como quem tem renda, para não pagar o mínimo de imposto, mas quer ter regalias iguais a quem tem desconto na folha de pagamento, ou quem contribui para a previdência social, ou quem paga seus impostos.

 

 

 

 

E daí? Consciência tranquila? Você está em condições de tornar o Brasil sempre melhor?

Depois de ter feito sua auto-análise, recomende-a aos seus amigos. Peça para eles lhe dizerem quantos pontos somaram em cada coluna. Se você não quiser, não precisa revelar quantos pontos você somou.

Procure ser um/a cidadão/ã honesto/a. Nunca é tarde para tanto, já que o exemplo para exigir as modificações necessárias que o país exige, deve partir de você cidadão/cidadã!

Isso é um exercício de cidadania, de responsabilidade social.

De graça você recebeu, de graça você pode ajudar seus amigos. 

Avenida Salvador Guerra, 80 - Jardim América - Foz do Iguaçu, PR | Fone/Fax: 45 3028 6464

Borkenhagen Soluções Contábeis Ltda.

Copyright © Desde 1997 - Direitos reservados