INÍCIO     |     NOSSA EMPRESA     |     ORIENTAÇÕES    |     MENSAGEIRO     |      ARTIGOS      |     ENTRETENIMENTO    |      BORKINFO     |     FAMÍLIA BORKENHAGEN

Início | Entretenimento | Efemérides | Arquivos | Dia do Chimarrão

Dia do Chimarrão

24 de abril

(A data foi instituída em 20 de junho de 2003 pela lei 11.929, de autoria do deputado estadual Giovani Cherini (PDT), no RS)

Chimarrão - Um prazer compartilhado

A roda de chimarrão é um momento de desconcentração, que faz parte de um ritual indispensável para unir gerações.

O mate pode ser tomado de três maneiras:

- Solito (isoladamente)

- Em parceria (com uma companheira ou um companheiro)

- Em roda (em grupo.

O mate solito faz parte de uma cultura do homem que não precisa de estímulo maior para tomar um chimarrão do que sua própria vontade. É na roda de mate, porém, que esta tradição conquistou seu apogeu, agrupando pessoas em torno de uma mesma ação: matear.

 

Aos navegantes de primeira viagem, um aviso: nunca peça um mate, por mais vontade que tenha. Poderá sugeri-lo de forma sutil, esperando que lhe ofereçam. Há um respeito místico nas rodas de mate.

Cada um prepara o mate à sua maneira. Isso você também deve saber respeitar.

Repare na 1ª cuia a posição da bomba em relação à erva. Igualmente repare isso na 2ª cuia.

Na primeira cuia temos a erva à esquerda da bomba, o que quer dizer que a roda de chimarrão deverá seguir para a esquerda, enquanto que pela forma que foi armado o segundo chimarrão, a roda seguirá para a direita. Se você entrou numa roda de chimarrão, já em andamento, respeite isso, ainda que você sente ao lado de quem esteja tomando o mate. Depois dele a cuia seguirá para a direção em que está definido o chimarrão. Então se for para o lado contrário de onde você sentou, aguarde o mate dar toda a volta até chegar sua vez. Reclamar, seria um desrespeito para com todos.

Se, eventualmente o anfitrião oferecer um mate-formigueiro, como o do terceiro exemplo, então não há direção a respeitar. Ao tomar o mate, não esqueça de tomar até o último gole.

Passar a cuia adiante sem ter bebido todo o líquido é considerado como uma gravíssima infração. Você até poderá ficar fora da rodada, por castigo.

 

Preparando o mate

Pelos tipos de chimarrão que já vimos, você pode escolher o que mais lhe agrade. O tradicional é o que tem a erva ao lado, do fundo à borda. Coloque a erva-mate na cuia até o gargalo (onde a abertura é menor), o que dá mais ou menos 2/3 da cuia. Pode ser erva fina ou grossa. Vai do seu gosto. A grossa tem o sabor mais acentuado, mais forte.

Tapando a cuia com uma cartela de papelão (as ervateiras já fornecem algumas para divulgação, feitas em plástico rígido) ou mesmo uma tampa de margarina ou um prato, ou até mesmo com a mão, pois o acabamento ficará melhor, aí  você inclina a cuia para a horizontal e acomoda a erva para que ocupe um lado da cuia de alto a baixo.

Para que a erva não caia, não desmorone, você pode afirmá-la com uma colher, com a própria bomba ou com uma pazinha (tipo palito de picolé) ou ser um pouco mais arrojado/a: segurando a cuia na horizontal pode golpeá-la de leve por baixo, com o joelho, isso fará com que a erva se firme naturalmente, soltando alguns palitinhos que servirão de filtro. Nunca chacoalhe (sacuda) a cuia pois aí você não estaria firmando a erva, mas deixando-a em suspensão e, como conseqüência, o mate poderá ficar pesado.

É praxe entre os apreciadores do chimarrão, prepará-lo com a água antes de alcançar a temperatura ideal. Há até o verso que diz: "Enquanto a chaleira chia, o amargo vou cevando". Isso quer dizer que você, tendo a erva já firmada, encherá de água a cuia para o chimarrão. Essa água, de preferência, será derramada na borda da cuia, para não criar a "erosão" -  não fazer desmoronar a erva, e penetrará na erva formando uma parede de proteção. Essa primeira água trará consigo um pouco de pó da erva-mate, pelo que é comum desprezá-la.

Você pode puxar/chupar/sorver (use o verbo que lhe agradar) e cuspir fora (na pia ou no terreiro), ou tomar se assim seu paladar o aceitar. Ah, muito importante: ao colocar a bomba, deve esta ser empunhada e tampada com o dedo polegar (conforme ilustração). Estando a bomba na posição definida para o mate, e você ao soltar o polegar perceber que a água baixou, terá garantido um mate leve (não vai trancar). Veja ao lado a orientação da Terra Mate.

A temperatura da água é antes de chegar à ebulição (fervura), +/- 65ºC. Normalmente a chaleira vai avisar. As de alumínio correspondem melhor. Quando a chaleira "chia" é porque se aproxima o momento de tirá-la do fogo. Se deixar ferver, além de "pelar" a língua e o céu da boca, poderá criar câncer de esôfago. O que deveria ser um prazer poderá tornar-se motivo de sofrimento, no futuro.

O verdadeiro chimarrão não tem mais que 5 ingredientes: a chaleira, a água, a cuia, a erva-mate e a bomba.

Se você quiser uma bebida terapêutica até poderá servir-se do chimarrão, mas o sabor da bebida ficará inibido, acentuando-se o sabor do chá que for adicionado. É preferível tomar o chá em separado, em respeito ao chimarrão, mas não é proibido. Dizem os gaúchos que: adicionar outras ervas, chás, mel, ou açúcar, é coisa de "fresco".

 

Variação - O chimareja

Com a mesma erva-mate, fina ou grossa, você também poderá tomar o "chimareja". A ceva, no entanto não poderá ser feita com água, nem quente, nem fria, mas com uma BRAHMA. Para quem não gosta de água quente, e gosta de uma cerveja, una o útil ao agradável, tome o "chimareja". Adicione a cerveja devagar para que não vire pura espuma ao contato com a erva-mate, tome, sirva novamente e passe para os demais. Muito importante é manter a temperatura da cerveja: nem quente nem fria, gelada, não congelada! É muito bom para a digestão e evita que você tome cerveja em exagero. A exemplo do valor da erva-mate considere que a DaDo Bier já produz cerveja à base de erva-mate. Isso não desmerece o chimarrão, pelo contrário, enobrece a erva-mate.

 

Conheça uma página que traz a História do Chimarrão

Respeite as regras do chimarrão: Os 10 Mandamentos

Saiba o que um portal gaúcho traz sobre o Dia do Chimarrão

Confira o que é a cerveja de erva-mate, a DaDo Bier Ilex

Receita para Mousse de erva-mate, confirme no portal da Globo

 

Saiba de outras efemérides

 

Erva do chimarrão vira sobremesa no RS

Representante comercial de Venâncio Aires ensina receita de mousse de chimarrão.
Na cidade, plantação de erva-mate garante sustento de 800 famílias.

As plantações de erva-mate ocupam 4 mil hectares e garantem o sustento de 800 famílias em Venâncio Aires (RS). E é de lá a receita de mousse de chimarrão, uma sobremesa que leva em conta as tradições do estado.

 

Veja o site do Globo Rural

 

A bebida mais consumida entre os gaúchos faz lembrar a infância de alguns moradores da cidade. “Desde cedo, meu pai já estava tomando chimarrão com a minha mãe. E nós, eu e meu irmão, em volta deles, com o mate doce, com erva-mate, leite e açúcar. Era uma delícia. Foi exatamente esse sabor da infância que me fez pensar na receita de mousse de erva-mate”, disse Neiva Gauer, representante comercial.

Os ingredientes são:

- 3 colheres de erva-mate

- 250 ml água

- 1 pacote gelatina de limão ou sem sabor

- 1 lata de leite condensado

- 1 lata de creme leite (sem soro)

- baunilha a gosto

 

O primeiro passo é acrescentar a erva à água e levar ao fogo. Quando ferver, desligue e coe o caldo. Depois, dissolva a gelatina no caldo ainda quente. Em um liqüidificador, acrescente a mistura aos demais ingredientes. Acrescente algumas gotinhas de baunilha ou três pacotes de açúcar de baunilha. Com a mistura feita, coloque em um refratário, leve para a geladeira e deixe em torno de quatro a seis horas.

 

Veja o vídeo da preparação do mousse

-------------- x --------------

 

Depoimento1: Ao final do chimarrão sobra erva que foi molhada, assim como erva que nem teve contato com a água. É nesse sentido que chamamos a atenção. É uma questão de responsabilidade ambiental. Não se joga fora a erva-mate que ainda pode render um prato (sobremesa) tão delicioso. Você pode retirar a erva-mate da cuia, guardá-la numa vasilha, na geladeira, e utilizá-la à medida da necessidade. Guardada ela não azeda.

Depoimento 2: Quando criança, inúmeras vezes tínhamos, lá em Santa Rosa - RS, leite com erva-mate, no lugar do café. Põe delícia nisso! Fica um leite esverdeado. Você adiciona tanta erva quanto necessário para o seu paladar. Só não gosta quem não experimenta!

Depoimento 3: Gottfried Auel, um alemão ambientalista, já falecido, quando de sua última visita a Foz do Iguaçu - PR, comentou que lá não se desperdiça erva-mate como no Brasil (a abundância não é a mesma, frisou) pois tomam o chimarrão, tiram a erva-mate, põe-na a secar; num outro dia preparam novo chimarrão; reservam a erva restante novamente, e depois de seca utilizam-na para fazer chá. E ainda destacou: "É pra ver que chá gostoso dá isso! Deverias experimentar que saboroso é!" - "Soltest mal proben wie gut das schmeckt!"

Edvino Borkenhagen

Atualizado em 08/03/2013


Benefícios do Chimarrão

O velho e bom chimarrão pode ser usado no tratamento do mal de Parkinson. Ao serem submetidas a testes realizados em cobaias, descobriu-se que a erva não só alivia os sintomas como também os efeitos adversos causados pela doença. Algumas dessas cobaias que receberam o extrato da erva tiveram todos os seus movimentos recuperados. Conhecida como erva-mate, mate ou erva-chimarrão.

 

Os médicos orientam que seu chá pode ser consumido quente ou frio. A temperatura da bebida não altera a eficiência de seu tratamento contra a doença. O mal de Parkinson é uma síndrome específica caracterizada por tremor, hipocinesia, rigidez e instabilidade postural.

 

A BORKENHAGEN é, por excelência, um lugar em que gostos, gênios, personalidades, graus de conhecimento, simpatias, jeitos, preferências, credos, etnias, naturalidades diferentes se dão muito bem.

O chimarrão é companhia da maioria, das 10 horas até o meio-dia, diariamente, podendo, como afirmamos anteriormente, clientes também participar da roda do chimarrão.

Já não é mais viável uma única cuia. Assim em 2012 passamos a utilizar duas cuias, sendo uma para a "Ala Norte" e outra para a "Ala Sul", não necessariamente as duas que constam na foto abaixo, mas graças à Terra Mate que nos brindou com uma bomba especial de aço inox, o chimarrão ficou até mais bonito.

Seja bem-vindo! Seja bem-vinda!

Avenida Salvador Guerra, 80 - Jardim América - Foz do Iguaçu, PR | Fone/Fax: 45 3028 6464

Borkenhagen Soluções Contábeis Ltda.

Copyright © Desde 1997 - Direitos reservados