INÍCIO     |     NOSSA EMPRESA     |     ORIENTAÇÕES    |     MENSAGEIRO     |      ARTIGOS      |     ENTRETENIMENTO    |      BORKINFO     |     FAMÍLIA BORKENHAGEN

Início | Nossa Empresa | Campanhas | Combate ao Câncer de Mama 2010

Combate ao Câncer de Mama 2010

A logo da campanha de apoio da Borkenhagen à luta contra o câncer de mama, é arte de Clayton Ferreira. Traz, ao fundo a logo universal, sobreposta pela nossa logo (parcial), interagindo com o laço rosa. A chamada "Borkenhagen contra o câncer de mama! Venha junto!" serve de estímulo a clientes e visitantes a que também assumam essa importante campanha.

Como reforço encomendamos um botton, utilizado pelos integrantes da nossa equipe até 26 de novembro, data prevista para a caminhada de encerramento da campanha. Distribuímos o botton, também, aos clientes, sugerindo-lhes que realizem sua campanha interna e participem do movimento contra o câncer de mama. A arte do botton é de Amanda Garcia. Veja imagem.

Lançamos nossa adesão à campanha deste ano com mensagem enviada a todos os endereços constantes em nosso mailling com o texto abaixo:

Olá!

Você pode até rir;

Você pode não gostar;

Você pode não valorizar a iniciativa;

Você pode não se importar com sua mãe;

Você pode não se importar com sua irmã;

Você pode não se importar com sua filha;

Você pode não se importar com você mesmo/a;

Você pode, entretanto, aceitar que se mobilizem os que acreditam que:

A LUTA CONTRA O CÂNCER DE MAMA DEVE SER LEVADA A SÉRIO!
 

A BORKENHAGEN aderiu ano passado.

A BORKENHAGEN adere novamente em 2010.
 

Por aqui nos empenharemos em divulgar o que esteja ao nosso alcance;
Por aqui levaremos a mensagem de que é urgente cuidar-se:
- a jovenzinha;
- a mãezinha;
- a mãe mais madura;
- a mãe da mãe (avó).

Todas merecem o nosso carinho e a nossa dedicação.
Examinem-se para que não seja tarde!

Acesse www.borkenhagen.net e siga os links indicados.
Assuma o laço cor-de-rosa, da maneira que você se sentir melhor!
Obrigado!
 

Links Úteis

Mulher Consciente

História da origem do laço cor-de-rosa 01

História da origem do laço cor-de-rosa 02

 

Edificações iluminadas

 

Ações desencadeadas e alertas

Jantar Rosa, em 11/11/2010 - Fotos do evento (Edvino)

Jantar Rosa, em 11/11/2010 - Fotos do evento (Katya Santos)


 

Registros da imprensa

 

Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.682 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 15 de outubro de 2010

Cidade
 

ACIFI "ilumina-se de rosa" para a campanha de combate ao câncer de Mama

Entidade aderiu à campanha mundial denominada Outubro Rosa

Da assessoria
 

Quem passar à noite diante da sede da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu – ACIFI vai perceber que a fachada está com uma coloração diferente. Holofotes com iluminação rosa foram instalados diante da parede de pedra que sustenta o letreiro da ACIFI para simbolizar que a entidade aderiu à campanha mundial denominada Outubro Rosa, mês de ações para conscientização e combate ao câncer de mama. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Na Europa, um dos monumentos mais importantes de Paris, a Torre Eiffel, assume essa coloração durante todo o mês de outubro. No Brasil, desde o dia 5 de outubro o Cristo Redentor, cartão postal do Rio de Janeiro, está com iluminação rosa. Outras regiões também costumam fazer de seus monumentos um agente de divulgação da campanha que visa alertar não somente as mulheres, mas também os homens, sobre a prevenção do câncer mamário.

Este ano, Foz vai se mobilizar duas vezes nesta ação de prevenção e combate ao câncer de mama. No dia 19 de outubro, data internacional, os três países da fronteira – Brasil, Paraguai e Argentina – desenvolvem ações integradas de luta e prevenção ao câncer de mama, coordenadas pela primeira-dama Hildegard Ghisi, conhecida carinhosamente como Dona Tutti. E também no dia 27 de novembro, data nacional de ação preventiva sobre o câncer de mama.

A ideia de iluminar de rosa o letreiro da ACIFI partiu da presidente da entidade, Elizangela de Paula Kuhn, antes dela seguir para a missão empresarial internacional promovido pelo programa Líder Mulher. Esta é a segunda ação de alerta ao risco do câncer de mama feito pela ACIFI. No ano passado, as escadarias internas da ACIFI foram revestidas de tecido rosa no mês de novembro, mais especificamente no dia 27 de novembro, data nacional de mobilização e conscientização sobre a doença.

"Pela importância desse projeto para a conscientização da população, atendemos o pedido da Dona Tutti e aderimos ao Outubro Rosa para contribuir com esta ação", afirmou Elizangela.

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo. No Brasil, a estimativa é 2010 termine com 49.240 novos casos. Atualmente, a incidência da enfermidade é de 49 casos a cada 100 mil mulheres, mas há incidência de câncer mamário também em homens.


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.684 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 18 de outubro de 2010

Cidade
 

Campanha de Prevenção do Câncer de Mama será lançada nesta terça-feira

Cerimônia acontecerá no Marco das Três Fronteiras com iluminação rosa dos três obeliscos
 

A Mesquita Omar Ibn Al-Khatab de Foz do Iguaçu ganhou um contraste diferente. A iluminação faz parte da mobilização Outubro Rosa, que já levou a tonalidade a dezenas de pontos turísticos do Brasil e do exterior em conscientização pela luta contra o câncer de mama.

Thays Petters

Os marcos que simbolizam as fronteiras do Brasil, Paraguai e Argentina ganharão a tonalidade rosa a partir desta terça-feira (19) em adesão à Campanha Mundial de Prevenção do Câncer de Mama.

A cerimônia de lançamento da campanha acontecerá no Marco das Três Fronteiras (lado brasileiro) a partir das 20 horas e contará com as presenças do Prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi, da primeira-dama e idealizadora da campanha no município, Hildegard Ghisi, da senadora eleita Gleisi Hoffman (PT), de representantes da Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu, Provopar e autoridades locais. O evento contará ainda com a participação da Banda da Fundação Cultural.

A iluminação faz parte da mobilização Outubro Rosa, que já levou a tonalidade a dezenas de pontos turísticos do Brasil e do exterior em conscientização pela luta contra o câncer de mama.

O nome remete à cor do laço rosa que simboliza o combate ao câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Em Foz, a iluminação foi implantada na Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi), no Provopar e na Mesquita Omar Ibn Al-Khatab. A Paróquia São João Batista também deve aderir à campanha com holofotes na tonalidade rosa voltados para a torre da igreja.

De acordo com a presidente do Provopar, Judite Dalcin, os marcos dos três países serão iluminados simultaneamente às 21 horas do horário brasileiro e 20 horas do horário da Argentina e do Paraguai. "Uma das novidades da campanha deste ano é a integração entre os três países e o desenvolvimento de ações integradas na luta contra o câncer", explicou.
 

Programação
 

Assim como nos anos anteriores, uma série de atividades será desenvolvida tendo como meta principal ofertar informações sobre a doença, assim como a importância da realização dos exames preventivos.

Organizado pelo Provopar e Secretaria Municipal da Saúde, a programação da campanha - que este ano chega a sua 4ª edição em Foz - tem início no dia 19 de outubro e segue até o dia 26 de novembro com ações voltadas a toda população. No próximo dia 28 de outubro será realizada a palestra com o Médico Oncologista Dr. Francisco Wisintainer, autor do livro "O que as mulheres querem saber sobre o câncer de mama". O encontro acontecerá às 15 horas no Cine Cataratas do Shopping Cataratas JL. No dia 11 de novembro será realizado o tradicional Jantar Rosa, as 20h30 no Hotel Rafain Palace. Até a data final da campanha, dia 26, os profissionais da Secretaria de Saúde estarão percorrendo empresas, escolas e universidades para ministrar palestras sobre o Câncer de Mama. Os interessados devem entrar em contato pelo telefone: 3521-1771. O encerramento da campanha acontece no dia 26 de novembro com a grande caminhada de conscientização. A ação acontece às 17h30 entre com saída do 34º Batalhão de Infantaria, na Avenida Brasil. A caminhada deve mobilizar milhares de pessoas e autoridades locais.


Jornal O Iguassu - Edição 37 - http://www.oiguassu.com

 

  - Jornal do dia: 18 a 24 de outubro de 2010

Saúde
 

Câncer de Mama continua matando no Brasil

Inca recomenda sete ações para reduzir número de mortes por câncer de mama

Da Redação

Imagem: Divulgação

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) divulgou na sexta-feira (15) sete recomendações para reduzir a mortalidade por câncer de mama no país. Apesar dos avanços científicos e da expansão da rede de saúde, a doença atinge 49,2 mil brasileiras por ano, causando 11 mil mortes anuais.

O diretor-geral do Inca, Luiz Antônio Santini, alertou que, além de seguir as recomendações do instituto, a principal atitude da mulher para combater a doença ainda é a consulta médica regular e precoce, desde o início da adolescência.

"Desde quando a mulher entra na puberdade, é fundamental que ela tome consciência de seu próprio corpo. Está comprovado, cientificamente, que quanto mais cedo é feito o diagnóstico, melhor a chance de cura, maior o tempo de sobrevida e melhor a qualidade de vida."

Santini ressaltou a necessidade de os médicos qualificarem o atendimento, realizando sempre ações que promovam a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, independente do tipo de consulta prestada.

Para ele, o Brasil é bem servido de mamógrafos. Segundo dados do Ministério da Saúde, o país tem 3,4 mil mamógrafos, o que significa um aparelho para cada 55,8 mil habitantes.

Ainda assim, o total de aparelhos é inferior ao número de municípios brasileiros, que é de 5.565, o que significa que ainda há muitas cidades que não oferecem o serviço às mulheres.

De acordo com o Inca, os maiores índices de mortalidade por câncer de mama no país são registrados nos estados do rio de Janeiro, 16,80 por 100 mil habitantes e do rio Grande do Sul, 15,54 por 100  mil, no Distrito Federal, 15,40 por 100 mil, e no estado de São Paulo, 14,65 por 100 mil.

A explicação para os maiores índices justamente nos estados mais desenvolvidos é que a doença aumenta segundo o avanço da idade da população, que viveria mais nesses estados.

O Inca recomenda;

1 - que toda mulher tenha amplo acesso à informação com base científica e com fácil compreensão sobre o câncer de mama;

2 - fique alerta para os primeiros sintomas da doença e procure avaliação médica;

3 - que as que apresentarem nódulo palpável na mama e outras alterações suspeitas recebam diagnóstico no prazo máximo de 60 dias;

4 - que as que tenham idade entre 50 e 69 anos façam mamografia a cada dois anos;

5 - que todo serviço de mamografia participe do programa de qualidade;

6 - que a qualificação, quando obtida, seja exibida em local visível; e

7 - que toda mulher saiba que o controle do peso corporal e da ingestão de álcool, além [do incentivo] da amamentação e da prática de atividades físicas são formas de prevenir o câncer de mama e que a terapia de reposição hormonal, quando indicada na pós-menopausa, seja feita sob rigoroso acompanhamento médico, pois aumenta o risco da doença.

As recomendações do Inca fazem parta da campanha mundial conhecida como Outubro Rosa, que é realizada em vários países, a fim de alertar as mulheres para a necessidade de prevenção e diagnóstico do câncer de mama.             (Com Agência Brasil)


 

Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.686 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 20 de outubro de 2010

Cidade
 

Fronteira se ilumina de rosa para campanha contra o câncer de mama

Marcos do Brasil, Argentina e Paraguai receberam iluminação cor-de-rosa, alusiva à campanha de prevenção ao câncer de mama

 

Marco brasileiro recebeu iluminação especial alusiva à campanha Outubro Rosa

Daniela Valiente - Reportagem

Kiko Sierich - Fotografia

Um grande público lotou na noite de ontem o Marco das Três Fronteiras, no lado brasileiro, para o lançamento da campanha oficial de Prevenção ao Câncer de Mama. No local, o marco foi iluminado com refletores com lâmpadas led e tecidos cor-de-rosa. Este ano, a campanha também ganhou adesão das cidades vizinhas de Puerto Iguazú (AR) e Ciudad del Este (PY), que prepararam eventos semelhantes para a data.

O evento contou com a presença do prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi, da primeira-dama e idealizadora da campanha no município, Hildegard Ghisi (dona Tutti), e representantes da Secretaria da Saúde de Foz do Iguaçu, Provopar e autoridades locais. Os visitantes foram recebidos com músicas executadas pela da Banda da Fundação Cultural.

Pontualmente às 21 horas, o marco brasileiro foi aceso, junto à queima de fogos. Logo em seguida, o marco argentino e paraguaio também puderam ser vistos. Em Puerto Iguazú, um grande evento, que contou com desfile de moda e a participação de uma banda reuniu mais de 300 pessoas no local. Em Ciudad del Este, um grupo de danças animou a noite.

Para a primeira-dama, a celebração abrangendo outros dois países englobou também a necessidade de transmitir informações sobre a doença. "Este ano tivemos a oportunidade de ter contato com Argentina e Paraguai e de desenvolvermos ações conjuntas, o que é de extrema importância, pois atingiremos um número maior de mulheres", disse. Dona Tutti ainda confirmou que do lado argentino também veio a ideia de transformar um ônibus num verdadeiro consultório médico para fazer a detecção da doença. "Podemos fazer um aqui no Brasil, mas, para tanto, estamos conversando com a Phillips brasileira". Outra iniciativa dos argentinos foi requerer a marca da campanha brasileira para que também possam usá-la. "Acredito que não somente a iluminação quanto outros eventos possam ganhar ainda mais empenho nos próximos anos".

Para a presidente do Provopar, Judite Maria Dalcin, a integração permitirá que o evento alcance novos objetivos. "Optamos por apostar nesta integração, justamente para que a campanha ganhe mais força e mais mulheres também possam ser salvas por meio da prevenção".

O prefeito, Paulo Mac Donald Ghisi confirmou que a campanha é de fundamental importância para que se possa atingir um número maior de mulheres. "Reforça os laços de amizade, pois somos uma região só. E em segundo, devido à importância da preservação, não adianta cuidar somente dos brasileiros e não ver a nossa região, isso é demonstração que queremos marchar juntos". O prefeito anunciou ainda que um mamógrafo deverá ser integrado à saúde pública até o final deste ano, facilitando exames gratuitos feitos pelo município. Hoje, somente o Hospital Costa Cavalcanti conta com esse equipamento, além de clínicas credenciadas. O município possui um protocolo de ação para atendimento a mulheres com idade superior a 40 anos e que necessitem realizar os exames.

O xeque Mohshin Alhassani, líder da comunidade islâmica, também prestigiou o evento e confirmou a continuidade da iluminação em cor-de-rosa na mesquita, como forma de solidariedade à campanha. "Esta doença precisa ser tratada num nível muito sério. É dever dos homens cuidar de suas mulheres, mães, filhas e irmãs".

O evento terminou com um abraço simbólico ao marco e queima de fogos.
 

Programação
 

Foz do Iguaçu integra a campanha pelo quarto ano consecutivo e desenvolve paralelamente à ação, diversas atividades junto à Secretaria da Saúde.

Até dia 26 de outubro, palestras em empresas, com a temática da prevenção, devem ser desenvolvidas por profissionais da saúde. O agendamento pode ser feito pelos telefones: 3521 1771/3521 1776. A exemplo do ano passado, o principal intuito é despertar as mulheres para a importância dos exames referentes à mama.

As atividades contam com a divisão da cidade em cinco diferentes distritos, onde palestras e apresentações teatrais devem ser desenvolvidas. Esta semana, o Distrito Norte está sendo atendido. Na sexta-feira, uma festa de encerramento será realizada no Colégio Arnaldo Isidoro de Lima. A partir da próxima semana, as ações estarão concentradas no Distrito Nordeste.

Além das palestras nos bairros, dia 28 de outubro, às 15 horas, no JL Shopping, acontece a palestra com o médico oncologista Francisco Wisintainer, autor do livro "O que as mulheres querem saber sobre o câncer de mama".

Em novembro, dia 11, às 20h30, acontece o Jantar Rosa, no Rafain Palace, que homenageia este ano Maria Olívia Samek, pela luta dela contra o câncer de mama.

As atividades chegam ao fim com a realização da caminhada de orientação e prevenção ao câncer de mama, que acontece dia 26 de novembro, às 17h30.

Foto (Tutti) Hildegard Ghisi falou da importância da união de brasileiros, paraguaios e argentinos contra o câncer de mama.


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.694 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 29 de outubro de 2010

Geral
 

Palestra sobre câncer de mama reúne mais de 350 mulheres

Médico convidado, falou sobre a 100 perguntas mais freqüentes sobre o câncer de mama e revela que mulheres ainda tem medo do exame

 

Mais de 350 mulheres lotaram sala no JL Shopping para saber mais sobre câncer de mama

Daniela Valiente - Reportagem

Kiko Sierich - Fotografia

As histórias da professora Kemeli Cavalcanti e da policial militar Ivanice Groto, tem muito em comum. Apesar das diferentes histórias, ambas tiveram que combater em tempos distintos da vida o câncer de mama. Na tarde de ontem, numa das salas do JL Shopping, as duas integraram ao lado de outras 350 mulheres uma platéia para receber o médico oncologista Francisco Wisintainer, que falou às mulheres sobre a doença.

A palestra faz parte da programação alusiva à Campanha de Luta Contra o Câncer de Mama e integra a programação nacional do movimento Outubro Rosa, que prevê atividades e orientações acerca da doença em todo o mundo.

Para o oncologista, e também autor de diversas publicações sobre a doença, informações sobre o câncer de mama podem ser encontradas em diversos meios. Para ele, a informação não é o principal inimigo das mulheres, mas sim o medo. "Numa campanha no Rio Grande do Sul, foi criado o projeto Vigi Mama, que monitora essas mulheres, pois percebeu-se que o número de mulheres que faziam o exame e nunca mais voltavam, era muito grande". A iniciativa, de acordo com ele aumentou o número de casos, mas em contrapartida também aumentou as possibilidades de cura, já que muitos foram detectados logo no início.

Para Wisintainer, existe ainda um misticismo que envolve o conhecimento de algumas mulheres sobre a doença. "Hoje, o número de casos (câncer de mama), supera qualquer outro tipo de doença nas mulheres acima de 50 anos de idade, ganha de todas as outras, e por que devemos ter medo disso? Já que temos uma doença potencialmente curável e convivemos com outras doenças incuráveis o resta da vida como diabetes e pressão alta?", questiona. A resposta vem como um aviso; "devemos perder o medo para desmistificar".

Quem passou pelo diagnóstico e conviveu com a doença também revela que vencer o medo é o primeiro passo na busca da cura. "Tive muito medo no início, mas depois sabia que deveria lutar se quisesse vencer", disse Ivanice que teve o câncer diagnosticado três meses após seu exame periódico. "Fiz meu primeiro exame em abril e não deu nada. Em agosto voltei e senti o caroço, era câncer". Com a doença diagnosticada aos 28 anos, ela buscou apoio na família.

Com Kemeli a descoberta veio mais tarde, mas ganhou o mesmo teor de medo. "Tinha 45 anos quando começou e de lá para cá já passaram 12 anos, estou bem", comemora. Kemeli ainda enfrentou a retirada de uma das mamas, e mesmo assim não perdeu a vontade de lutar. "Perdi um seio, mas ganhei minha vida".
 

Saúde
 

As atividades que integram a programação da Campanha encerram hoje no distrito nordeste, que engloba quatro bairros próximos a Três Lagoas. As palestras são realizadas dentro de escolas, centros comunitários e postos de saúde e vem atraindo uma média de 250 por região. Para o médico diretor da Atenção Básica, Alexander Steiner, o principal intuito está em desmistificar a doença. "Dos anos 70 para cá muito descobriu-se no combate à doença. Antes, quando falava-se em câncer de mama logo vinha a mutilação à mente e hoje isso mudou muito, pois as possibilidades de cura são muitas".

Com as palestras, a quantidade de pedidos para os exames também aumentou, chegando a atingir 50 somente num dia. Mas para o médico ainda é preciso melhorar; "de uma mulher que faz exame na cidade outras sete deveriam fazer também".

Para a madrinha do evento, a primeira-dama, Hildegard Ghisi, a frequência de informações sobre o câncer de mama deve ser renovada todos os anos. "Precisamos manter a campanha, levar a informação correta, pois sua falta gera incerteza e medo e isso precisa mudar".

A campanha, que é uma parceria entre Provopar e Secretaria da Saúde segue até novembro e vai cobrir cinco distritos da cidade.


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.702 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 09 de novembro de 2010

Cidade
 

Campanha faz crescer procura por mamografias na rede pública

Somente em outubro, 402 mulheres fizeram o exame de mamografia e outras 1.637 coletas para o preventivo de colo de útero

Lilian Azevedo (Reportagem)

Desde o lançamento da Campanha contra o Câncer de Mama em outubro, a procura pelos exames preventivos realizados pela rede pública de saúde em Foz do Iguaçu vem aumentando gradativamente tanto para as consultas quanto para a realização de mamografias, essenciais para a identificação da doença principalmente após os 40 anos.

Somente no primeiro mês da campanha, em outubro, a Secretaria Municipal de Saúde contabilizou a realização de 402 mamografias e 1.637 exames preventivos contra o câncer de colo de útero, também inclusos na mobilização. A média mensal de mamografias feitas via SUS (Sistema Único de Saúde) no município é de 300, em períodos considerados normais.

A iniciativa, com o intuito de incentivar a procura pelos exames, está sendo desenvolvida com ações em todos os distritos sanitários envolvendo palestras, eventos culturais e coletas de exames. Até agora, a campanha percorreu os Distritos Norte (Região da Vila C) e Nordeste (Região de Três Lagoas). Clique na figura e conheça o Programa Mais Saúde do Ministério da Saúde. - Lei 11.664/2008.

A terceira semana de atividades alusivas à campanha começou ontem (08), com programação no Distrito Leste (Região Morumbi), seguindo o cronograma de palestras pela manhã e à tarde. Hoje (09), está prevista a coleta de preventivo com solicitação de mamografia, além de atividades das equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

Na quarta semana, que vai do dia 15 a 19 de novembro, a campanha percorrerá o Distrito Sul (Região do Porto Meira). Na sequência, as atividades seguem para o Distrito Oeste (Região Central, Jardim América, Vila Yolanda e Vila Adriana). No dia 26 de novembro, estão previstos atendimentos gratuitos durante evento cultural na Praça do Mitre, das 8h30 às 12 horas.

Acesso

Para as mulheres que ainda não fizeram a mamografia e se enquadram na faixa etária dos 40 anos, é preciso ter pedido médico da rede pública e agendar o horário. "A paciente já sai da Unidade Básica em que foi atendida com a requisição do exame e o agendamento", explica a enfermeira da Divisão de Atenção Básica à Saúde, Ana Paula Cossa.

Quanto antes for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento contra o câncer de mama, maiores são as chances de cura. "Por isso, é tão importante que as mulheres aproveitem e façam os exames", disse a enfermeira Ana Paula.

A enfermeira enfatiza que a procura pelo exame não precisa ser feita necessariamente em períodos de campanha, quando o assunto e as informações sobre a doença são disseminados amplamente. "Durante todo o ano, o atendimento e o acesso ao exame é disponibilizado às mulheres pela rede municipal de saúde. Ocorre que em épocas de campanha de sensibilização, as pessoas param mais para refletir sobre a importância da prevenção. Outro fator é que neste período de conscientização, estamos intensificando ações preventivas", conta. Clique sobre a imagem e saiba mais sobre mamografia no SUS.

Um dos aspectos positivos em relação aos atendimentos prestados no decorrer da campanha, é que a iniciativa tem alcançado um percentual de mulheres que geralmente encontram dificuldades para fazer os exames. "A oportunidade tem sido bem aproveitada por mulheres que não tem muito tempo por causa do trabalho e que também não tem condições de pagar pelo exame particular", afirma a enfermeira.

A mamografia é importante porque alguns tumores são formados por calcificações, que só são detectadas do exame. O aumento de casos de câncer de mama em mulheres mais jovens é uma preocupação entre os especialistas. Para essa parcela, são recomendadas ultrasonografias. "A melhor tática para evitar a doença ainda é a prevenção", conclui a enfermeira.


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.706 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 13 de novembro de 2010

Cidade
 

Jantar Rosa reúne centenas de pessoas em Foz

Evento em adesão à Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama aconteceu nesta quinta feira, no Hotel Rafain Palace


Famílias Ghisi e Samek acompanharam a segunda edição do evento realizado no Rafain Palace

Da Redação

Reportagem

Em torno de 300 pessoas acompanharam na noite de quinta-feira (11), a 2ª edição do Jantar Rosa, baile show no Rafain Palace Hotel.

Promovido pelo Provopar e com apoio de diversas empresas, o evento faz parte da 4ª Jornada de Prevenção ao Câncer de Mama, que teve início no dia 19 de outubro e segue até o dia 26 deste mês, em Foz do Iguaçu.

Vestidos na tonalidade rosa – em adesão à campanha - os convidados se emocionaram com a programação do evento, que este ano homenageou Maria Olívia Samek, um dos grandes exemplos de luta e superação da doença.

Integrante do projeto "Mulher Igual Superação", Maria Olívia recebeu uma linda homenagem da organizadora do evento, Nanci Rafain Andreola, e em seguida assistiu a um vídeo com depoimentos de amigos e familiares que a ajudaram durante o tratamento.

Muito emocionada, ela agradeceu a presença de todos e disse que a homenagem serve de incentivo a mulheres que hoje lutam pela recuperação.

Além da homenagem, o público pôde conhecer um pouco mais sobre o projeto "Mulher Igual Superação", que teve inicio no ano passado, com 30 mulheres iguaçuenses. Logo após o jantar, o público participou de sorteios de brindes e encerrou a noite com um baile festivo.

Na avaliação da presidente do Provopar, Judite Dalcin, o jantar foi um grande sucesso. "Temos muito a agradecer aos que compareceram. O evento é muito importante e os depoimentos de Maria Olívia serviram de estímulo e alerta", comentou. Para Judite, a campanha tem se mostrado eficaz em seus objetivos. "É muito importante que todos tenham conhecimento e consciência de que a prevenção é o melhor caminho, pois é comprovado pela medicina que o câncer de mama tem cura, e as mulheres devem se prevenir, principalmente as com idade acima de 40 anos têm obrigação de fazer o controle".

História

Em 2009, a campanha ganhou força quando promoveu o 1º Jantar Rosa, quando a homenageada foi a primeira-dama de Foz, Hildegard Ghisi, a dona Tutti. Além disso, um projeto especial integrou a campanha — O Projeto Mulher Igual Superação, em que 30 mulheres que passaram ou ainda estavam enfrentando a doença, foram fotografadas por Jader Rocha.

Neste ano, Brasil, Paraguai e Argentina lançaram a campanha internacional de prevenção ao câncer de mama, no dia 19 de outubro, iluminando de rosa os marcos das três fronteiras. A campanha se encerrará dia 26 deste mês, às 17h30, com uma grande caminhada pela Avenida Brasil, saindo do lado do 34º Batalhão. (A logo que inserimos é exclusiva da tríplice fronteira - região trinacional)
(Com assessoria)


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.716 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 26 de novembro de 2010

Cidade
 

Caminhada de prevenção ao Câncer de Mama acontece hoje

Marcha tem início às 17h30 com saída do 34º Batalhão e seguirá pela avenida Brasil até o mastro da bandeira

Ato marca o encerramento da campanha de prevenção ao câncer de mama

Da Redação

Roger Meireles - Fotografia

Acontece hoje (26) às 17h30 a Caminhada de Prevenção ao Câncer de Mama em Foz do Iguaçu. O evento terá início com concentração no 34º Batalhão de Infantaria Motorizado e seguirá pela Avenida Brasil até o mastro da bandeira. Pelo quarto ano consecutivo, a caminhada encerra a Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama, que teve início no dia 18 de outubro.

A marcha a favor da vida deve reunir aproximadamente 800 pessoas, entre, representantes de órgãos públicos, entidades, Provopar, clube de mães, equipes de saúde, escolas e a comunidade em geral.

Neste ano, a campanha chamou a atenção para a realização do exame preventivo e da mamografia em mulheres a partir dos 40 anos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a doença quando detectada na fase inicial apresenta 95% de chances de cura.

A campanha foi idealizada pela primeira-dama da cidade, Hildegard Ghisi (a dona Tutti). Para ela, o projeto superou as expectativas. "Os países da fronteira se uniram de uma forma exemplar durante o ‘Outubro Rosa’, com manifestações contra o câncer de mama. A campanha foi muito boa, o Jantar Rosa foi um sucesso, a participação da Secretaria da Saúde junto à equipe de enfermagem foi excelente na realização de mobilizações em diversos pontos da cidade incentivando as mulheres a fazer o exame", comentou.

Para a caminhada, Dona Tutti também espera a participação de toda a comunidade. "Assim como durante a campanha, queremos o envolvimento de toda a população, pois será um dia de festa e de alegria, onde iremos comemorar os resultados dos trabalhos desenvolvidos durante os últimos meses", enfatizou a primeira-dama.

A presidente do Provopar, Judite Dalcin, também fez uma avaliação da campanha. "Até o momento posso considerar que está sendo bastante positiva, pois com dados da Secretaria da Saúde 1.500 mulheres fizeram o exame de colo de útero e outras 750 de mamografia, isso mostra o resultado dos nossos esforços pela campanha". Na avaliação de Judite, a campanha cumpriu com seu papel de conscientizar a população. Para ela, o apoio da comunidade e dos países vizinhos foi essencial. "Surpreendemos quando autoridades do Paraguai e Argentina aderiram à campanha, isso prova que o combate à doença integra as nacionalidades e ultrapassa as fronteiras", concluiu. (Com AMN)


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.716 - http://www.gazeta.inf.br

 

- Jornal do dia: 26 de novembro de 2010

Mensageiro

ANO XIII, Mensagem 644

 

Seu espaço para ler, refletir, aprender, repassar, e colaborar.

O Câncer faz festa
 

Pode ser em outras paradas, mas em Foz do Iguaçu estamos imbuídos de um sentimento de responsabilidade, em ação coordenada pelo PROVOPAR. Antes que o câncer faça festa em você, em seu familiar, em seu próximo, em alguém de sua comunidade, faça você a sua parte. A tristeza pode alcançar você, a mim, a qualquer um, se não estivermos preparados.
Enquanto para algumas famílias o câncer é um drama terrível, para outros é uma história de desafios e conquista. Por que? Porque o câncer se manifesta de inúmeras formas atacando pele, boca e garganta, tireóide, cérebro e sistema nervoso central, esôfago, estômago, pulmão, próstata, vulva, ovário, mama, entre outros tipos.
Divulgamos a todos os contatos que de 19/10 a 26/11/2010 na BORKENHAGEN a campanha é cor de rosa. Destacamos que: A LUTA CONTRA O CÂNCER DE MAMA DEVE SER LEVADA A SÉRIO!

O câncer de mama é causado por alterações genéticas, que podem ser estimuladas por fatores ambientais como: tabagismo, uso de hormônios (TRH - terapia de reposição hormonal), início da menstruação em idade muito jovem, menopausa em idade mais tardia, gravidez em menor número, gravidez em idade cada vez mais tardia, excesso de peso e ingestão de bebida alcoólica, entre outros.
Se uma mulher for alcançada pelo câncer de mama, for tratada a tempo e se vir livre do mal, poderá, respeitado o período de 2 anos, ter seus ciclos menstruais normais e encarar uma gravidez normal, mas se a gravidez for antes poderá o câncer retornar à mãe. A caminhada programada para 26/11 é uma chamada geral. Participe com sua equipe, com sua família, com sua associação de bairro, com sua comunidade, mas sobretudo: PARTICIPE!
Leve uma faixa, um banner, um cartaz e deixe o mundo saber que em Foz do Iguaçu estamos unidos contra o câncer de mama e a favor da saúde das pessoas.
 

Coluna do Mensageiro - Registro 0123526, 18/08/03, Títulos e Documentos

 

 QUANDO PESSOAS DE BEM SE UNEM

O MAL PODE SER ELIMINADO

Na BORKENHAGEN estimulamos nossa equipe, nossos clientes, nossos contatos a atuarem em favor da comunidade pois "Responsabilidade social é o que fazemos em prol do bem-estar da comunidade". Faça sua parte e viveremos melhor!

Arte da logo: Clayton Ferreira


Jornal A Gazeta do Iguaçu - Edição 6.717 - http://www.gazeta.inf.br

 

  - Jornal do dia: 27 de novembro de 2010

Geral
 

Caminhada contra o câncer de mama atrai cerca de 800 pessoas

Evento realizado ontem, em comemoração à campanha do município, orientou a população sobre o câncer de mama

A caminhada encerrou a programação da campanha de prevenção ao câncer de mama no município

 

Lilian Azevedo - Reportagem

Kiko Sierich - Fotografia
 

Cerca de 800 pessoas participaram da Caminhada de Prevenção ao Câncer de Mama ontem (26) em Foz do Iguaçu, evento em comemoração às ações da quarta jornada de prevenção à doença no município, com programação iniciada no mês de outubro. O foco principal da atividade foi a divulgação de informações sobre a doença e a reunião de toda a comunidade para comemorar os resultados do trabalho desenvolvido durante os últimos meses.

Para a idealizadora da campanha, a primeira-dama da cidade, Hildegard Ghisi (dona Tutti), a participação na caminhada foi muito positiva e surpreendeu. "Olha só, quantas pessoas aqui hoje (ontem)", disse à reportagem e completou: "encerramos com chave de ouro, a campanha que foi uma iniciativa de união em todas as ações, superando todas as expectativas". Dona Tutti fez o trajeto da caminhada pela Avenida Brasil, acompanhada do prefeito Paulo Mac Donald Ghisi e secretários da administração.

Para a presidente do Provopar, Judite Dalcin, a caminhada é um meio de divulgar à população as maneiras de diminuir os riscos do câncer em mulheres. "A gente passa para o público a eficácia de fazer exercícios físicos para diminuir as possibilidades de ter câncer de mama, a importância do auto-exame e as facilidades do tratamento precoce da doença", enumera.

Entre as diversas pessoas presentes na atividade, dona Angelita dos Santos, 57 anos, que já teve câncer de mama e disse ter se curado mais facilmente devido ao tratamento precoce da doença graças ao auto-exame, destacou a importância da ação. "Descobri um nódulo durante o banho. É muito importante conseguir mobilizar tantas pessoas e passar essa mensagem para melhorar a vida das mulheres", garante ela. Ao lembrar sua história, ela relata que além do desafio de vencer a doença não pôde contar com a companhia de seu marido, falecido pouco antes de sua cirurgia para a retirada do tumor, tampouco com a filha, que se mudou de cidade. "Incentivo às famílias a estarem junto com suas mulheres, pois o apoio é essencial. Hoje estou feliz com Deus e recuperada", comemora.

Para dar apoio à iniciativa e reforçar que o câncer tem cura, se descoberto a tempo, Maria Olívia Samek analisa que o preconceito em torno da doença ainda é presente, especialmente entre as próprias mulheres. "Existe um preconceito que deve ser enfrentado, de que a mulher quando descobre que tem a doença, imagina que vai ficar feia, que tudo vai ficar ruim, mas quando tudo é superado, a mulher consegue resplandecer e ficar ainda mais bonita", acrescenta.

A Caminhada pela Vida contou com a participação de representantes de órgãos públicos, entidades, Provopar, clube de mães, equipes de saúde, escolas e a comunidade. Os presentes participaram caracterizados pela cor que lembra a luta contra o câncer: camiseta rosa, bótons e material alusivo à campanha. Também marcaram presença no evento, a Banda do Exército com apresentação instrumental e a fanfarra da Escola Municipal Jorge Amado.

Representação

Ainda entre as presenças destaque na caminhada, esteve o grupo de mulheres que representaram Foz do Iguaçu, na Corrida da Cura, um dos maiores eventos do gênero realizado no Rio de Janeiro em 24 de outubro. Lá elas receberam uma medalha e uma rosa que simboliza a vida. "Há dois tipos de grupos lembrados quando se oferece a rosa. Um recebe rosas vermelhas que lembram as vítimas da doença que se foram. A flor de cor rosa significa a vitória do grupo que vence a doença e toca a vida para a frente", conta Kemeli Cavalcanti.


A Equipe Borkenhagen posa para o encerramento da campanha, com o boton aplicado.

Avenida Salvador Guerra, 80 - Jardim América - Foz do Iguaçu, PR | Fone/Fax: 45 3028 6464

Borkenhagen Soluções Contábeis Ltda.

Copyright © Desde 1997 - Direitos reservados